O intestino e a vida saudável

Atualizado: 8 de ago. de 2019

O corpo humano é um complexo originado de uma simples célula, que se desenvolve e

compõem-se de órgãos e membros necessários para um funcionamento ordenado e

saudável da vida. O tamanho, formato, a saúde e o tempo do organismo podem ser

definidos pelo DNA, que conhecemos como informação genética do indivíduo, porém

esses aspectos podem ser harmonizados ou desarmonizados de acordo com o estilo de

vida, isto implica que há possibilidade de escolha e que não é um castigo obrigatório ter

uma saúde debilitada, com enfermidades e infeliz. Dentro desta unidade humana, temos uma microbiota, que é a população(bilhões) de bactérias que podem gerar reações orgânicas positivas ou negativas de acordo com a sua origem e composição, elas estão mais concentradas em nosso aparelho digestivo: da boca ao ânus.


Aquela única célula, agora, já são 100 trilhões. Olhos, boca, nariz, coração, fígado,

tecido muscular, tecido adiposo, pulmões, estômago, intestino, etc. Tudo é vida, e nós

somos tudo isso conectado. Mesmo eu não elencando todos, pois exemplifico esses

setores acima de forma que você possa entender que o assunto a seguir não é fator

singular para uma longevidade, mas essencial. Ao cuidar de todos os outros cômodos do corpo humano, mantenha o intestino funcionando de uma forma saudável.


O ciclo da renovação celular depende dos nutrientes que entregamos no intestino via

alimentação. A absorção desses substratos participa da produção de hormônios, enzimas e neurotransmissores. A partir disso, começamos a entrar na importância de ter uma microbiota diversa e estável. Chama-se de disbiose intestinal quando essa estabilidade está comprometida pela presença de inflamações geradas, possivelmente, por um consumo excessivo de farinha branca, açúcares simples e gorduras saturadas.


Mau hálito, flatulências, má digestão, inchaço abdominal, sobrepeso são alguns dos

sintomas de um intestino debilitado. Doenças crônicas podem ser causadas por uma

redução na composição do sistema imunológico: diabetes, doenças autoimunes e até

mesmo câncer. A defesa do corpo humano depende do mecanismo de absorção de

nutrientes, sem “soldados", a guarda pode ficar aberta para tudo que há de

complicações.


Stress, depressão e ansiedade têm forte ligação com a absorção intestinal desequilibrada. Neurotransmissores e neurônios estão presentes em grande número no órgão do aparelho digestivo, que quando tem um estado saudável e regulado contribui diretamente no funcionamento cerebral, visto que 90% de serotonina, que chega até o cérebro, é produzida por neurônios intestinais. Também existem outros

neurotransmissores: dopamina, acetilcolina, adrenalina e o gaba, que são produzidos por probióticos(bactérias benéficas). Com isso, chegamos a uma relação direta da atividade cerebral e da saúde intestinal. Para que o corpo e a mente funcionem de acordo com as necessidades humana, relacionadas a uma boa qualidade de vida, deve-se ter um bom aproveitamento de nutrientes.


Alergias, fadiga, acne, artrite, candidíase e intolerâncias alimentar também podem ser

sinais de uma microbiota desregulada. Segue lista de alguns direcionamentos a serem

seguidos a fim de que se tenha um intestino saudável, com bactérias boas(eubiose),

contudo, o melhor a se fazer é procurar um profissional.


- Slow food: Mastigar bem os alimentos e retroceder a hábitos antigos de comer na

mesa é essencial para uma boa absorção e digestão.

- Evite stress: Procure viver bem com os seus sentimentos, isso reduz a liberação de um

hormônio chamado cortisol, que influência diretamente na composição da microbiota

intestinal. As enzimas digestivas são melhores produzidas em pessoas que são mais

felizes, devido uma maior presença do neurotransmissor serotonina.

- Consuma alimentos ricos em magnésio: Esse micronutriente participa da produção de

AcetilColina que é um neurotransmissor responsável pela memória. Sabe quando você

esquece onde colocou a chave do carro? na realidade o que acontece é uma falta de