Umas das chaves para felicidade: O que faz a Serotonina?

A serotonina é considerado por alguns pesquisadores como o elemento que é responsável por manter o humor em equilíbrio, conhecido como hormônio da felicidade. A palavra serotonina surgiu quando a substância foi isolada em 1948 por Maurice M. Rapport e foi inicialmente classificada como um soro que agia afetando o tônus vascular. É mais comumente citada nos artigos como um neurotransmissor, embora alguns considerem esse processo químico como sendo um hormônio. Muitos pesquisadores acreditam que um déficit de serotonina leva a depressão, interferindo negativa ou positivamente na atividade dos neurônios, que passam sinais entre si (sinapse). Entre suas funções está a regulagem do ritmo cardíaco, do sono, do apetite, do humor, da memória e da temperatura do corpo. Esse hormônio é sintetizado nos neurônios serotoninérgicos do sistema nervoso central (SNC) e nas células enterocromafins, encontradas na mucosa intestinal de humanos e de animais em geral. Uma devida atenção ao nosso humor é capaz de evitar diversas patologias cognitivas ou não-cognitivas, como por exemplo a ansiedade exagerada, depressão e cardiopatias. Afim de esclarecer esses pontos, a serotonina é cada vez mais trabalhada, comentada e buscada por pessoas da área da saúde e também pelo público em geral, mas vale lembrar que não é apenas esse fator que é responsável pelas doenças citadas.


Se é verdade que a felicidade está dentro de nós, podemos estudar cada vez como alimentar e crescer com esse sentimento mais presente de forma constante e saudável!


A mente consome e respira energia. Pensando em uma separação de mente e cérebro, sendo o primeiro a forma abstrata e o segundo a forma física é de se concluir que o material influência diretamente no energético e vice-versa. De uma forma universal, pensamos em potencializar a produção de serotonina, como algo separado de outros fatores que contribuem para sua produção de biodisponibilidade. Mas indo mais a fundo, sabemos que a maior parte da serotonina presente no organismo humano, cerca de 95%, é produzida no trato gastrointestinal. E começamos a pensar: Se meu intestino não estiver bem vai adiantar eu estimular a produção de serotonina com mecanismos que prometem esse resultado? - Não apenas um intestino desregulado em absorção, digestão ou em sua microbiota é fator determinante na baixa produção e biodisponibilidade deste hormônio. Deixando claro que a serotonina tem a sua ligação científica ainda limitada a sua relação com patologias cognitivas. Contudo, na minha prática clínica a administração de l-triptofano, l-tirosina, GABA, zinco, magnésio, Vit. D3 e evolução do físico, tem nos apresentado excelentes resultados de acordo com a anamnese realizada em consulta. Vou citar 5 mecanismos que potencializam a produção e biodisponibilidade de serotonina:


  1. Suplementação de L-triptofano, quando não associado a ansiolíticos.

  2. Atividade física nos primeiros horários do dia para reduzir os níveis de cortisol sérico. Um estudo da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte concluiu que "Depois das sessões de exercício, o grupo ativo mostrou redução significativa do nível de cortisol e aumento significativo do nível de serotonina em comparação ao grupo controle (Inativo).

  3. Alimentos ricos em vitamina B5 que muitas vezes referida como a vitamina anti-estresse, ajuda na reposição de hormônios adrenalina, noradrenalina e a dopamina que respondem diretamente ao estresse.

  4. Utilização canabidiol pela medicina alternativa. Contudo, estudos sugerem que o efeito antidepressivo do canabidiol existe, mas é dependente da sinalização mediada por serotonina, que encontra-se prejudicada em indivíduos deprimidos, e é restaurada pelo tratamento crônico com antidepressivos (Zanelati et al., 2010; Sales et al., 2018). E, O uso repetido do CBD, diferente do que ocorre com o THC (Δ9-tetra-hidrocanabinol), não produziu tolerância de seus efeitos, nem qualquer sinal de dependência ou abstinência em testes com camundongos (Hayakawa et al., 2007).

  5. Alimentar bons sentimentos como amor, amizade, caridade, compaixão e fraternidade.

Agora, o que é muito pouco falado é a duplicidade do efeito da Serotonina, no primeiro parágrafo citei: "A serotonina..., conhecido como o hormônio da felicidade." - Só que, existe uma linha de pesquisa que está ligada a amígdala, que são estruturas que fazem parte do chamado cérebro profundo, no qual primam as emoções básicas, tais como a raiva ou o medo e também o instinto de sobrevivência. O descontrole nos sentimentos e ações também pode ter ligação síndrome da serotonina que é uma condição potencialmente fatal que resulta do aumento da atividade serotoninérgica do sistema nervoso central que normalmente está relacionada a fármacos. Os sintomas do seu excesso podem incluir mudanças no estado mental, calor corporal e hiperatividade. Por isso deve-se administrar com cuidado o estímulo, suplementação e bloqueadores de seus receptores. Também, como hoje muito utilizado, seja de forma crônica ou por determinado período, os fármacos conhecidos como Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina (ISRSs) pertencem a uma classe de medicamentos utilizados para o tratamento de uma série de patologias relacionadas à fisiologia desse neurotransmissor. Um novo estudo realizado na Universidade de Uppsala, na Suécia, mostrou que indivíduos com transtorno de ansiedade têm níveis muito altos do neurotransmissor serotonina - e não muito baixos, como sugeriam estudos anteriores. E quanto mais serotonina essas pessoas produzem, mais ansiosos são em situações sociais.


Uma boa forma de avaliar os níveis de serotonina é a seguinte:

  1. Exame bioquímico(sérico), seguindo as recomendações necessárias.

  2. Examinar se existem alteração no sistema endócrino, mais precisamente na redução de fatores do crescimento, principalmente o BDNF, o qual pode estar envolvido na gênese da depressão (Perito & Fortunato, 2012).

  3. Observe a sua concentração e foco. Lembrando que procrastinação em todos os sentidos, é uma pedra na vida útil da serotonina.

  4. Tudo que o seu organismo produz precisa de uma energia que vem da alimentação. Se você consome industrializados, açúcar, fuma, bebe, usa drogas ilícitas, não bebe água, não se expõem ao sol, vive reclamando da vida, cuidando da vida dos outros, fazendo fofoca, autoestima baixa, tem um aumento do percentual de tecido adiposo e redução da massa muscular, tudo indica que a serotonina esteja limitadamente biodisponível!

  5. Preste atenção nos seguintes sintomas: mau humor pela manhã; Sonolência durante o dia; Alteração do desejo sexual; Vontade de comer a toda a hora, especialmente doces; Dificuldade no aprendizado; Distúrbios de memória e de concentração; Irritabilidade.

Quanto aos benefícios e malefícios deste assunto, gostaria de te entregar uma receita pronta do tipo "2+2=4", mas principalmente neste caso, depende de cada um. O que nos diferencia dos outros animais é o sentir com razão, fazendo que a personalidade e caráter hajam intrinsecamente na modulação serotoninérgica, pois cada sentimento vivido seja ele de dor ou amor, é capaz de contribuir diretamente na felicidade do indivíduo de acordo com a sua conduta na vida e no dia-dia. Uma coisa que eu vejo que é muito importante é cuidar de sí, desse corpo que tens e deixar a sua mente livre para novas idéias e conhecimentos, assim como também para a evolução espiritual. Como consequência de um bom comportamento, rotina saudável e bons pensamentos, temos níveis do cortisol que é liberado em medida que o corpo percebe o estresse, as glândulas produzem o hormônio e o liberam na corrente sanguínea, que caso não soubéssemos disso tudo, sujeito a se tornar um pesadelo.



JAYME ASSUNÇÃO

NUTRICIONISTA

CRN 11090


381 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo